Cuidar do carro é uma responsabilidade que pode ser evitada em troca de mais tempo e dinheiro e de uma vida mais prática.

O compartilhamento de carro, ou como também é conhecido o serviço de car sharing, é uma prática que chegou ao Brasil para ficar. Basta você disponibilizar seu carro para terceiros ou alugar veículos de outras pessoas e pronto, você já estará fazendo car sharing.
A novidade veio para mudar a percepção de propriedade sobre carros e com isso ganhar mais liberdade e dinheiro no bolso.

A percepção de propriedade sobre carros está mudando

A era digital motivada pelos avanços tecnológicos tem mudado os hábitos da sociedade e influenciado fortemente as dinâmicas econômicas.

O que se vê é a mudança na percepção de propriedade. Em nosso caso específico, ter um carro já não é mais o “ter” material, mas pensar na mobilidade que ele pode oferecer. Porém, a ideia não restringe aos carros, pelo contrário, estende-se aos bens em geral.

Jeremy Rifkin, um economista e ativista dos Estados Unidos, em suas falas públicas não hesita na afirmação de que para a sociedade atual a importância não está no bem, mas no serviço que ele pode proporcionar.

Em outras palavras, o que vale não é o material, mas o imaterial. E no caso aplicado, um carro como um bem, é um objeto qualquer. Porém, o destaque está na mobilidade que o serviço de compartilhamento de carro propicia.

alugar meu carro

O futuro será feito de experiências e não de posses

Se a tecnologia influencia os hábitos da sociedade, a recíproca também é verdadeira. Que o diga o filósofo Felix Guattari em Mil Platôs quando afirma ser a máquina social a responsável pela máquina tecnológica.

Dessa forma, é a sociedade quem está no topo da pirâmide e dita as normas. O material, a posse do bem não está no centro, mas as subjetividades. Essas são motivadas pelas experiências pessoais.

O futuro feito de experiências e não de posses implica em mudanças no mercado. A compra de um bem, um carro por exemplo, não será para satisfazer o desejo de status pela posse de um veículo, mas atender as necessidades de mobilidade.

Em uma pesquisa intitulada Uma vida maravilhosa: o consumo experimental e a busca pela felicidade feita pela Universidade de Cornell e citada pela Época, acompanhou por três anos cerca de 2 mil pessoas as suas relações e sentimentos com as compras efetuadas.

O resultado trouxe ao conhecimento que investir em experiência, na compra para resolver problemas na vida, aumenta a felicidade e o sentido pessoal do viver.

 

Mais dinheiro no bolso e muita história para contar

mais dinheiro no bolso

Surge um dilema: se comprar ou compartilhar. As experiências em contraposição à aquisição dos produtos, podem ser compartilhadas mais facilmente e revividas durante épocas.

No caso específico da aquisição de um veículo, o jogo se desenvolverá no sentido de o ter como uma propriedade e garantia de status, ou um meio para oferecer mobilidade.

A orientação atual é o do compartilhamento de carro. Os hábitos e paradigmas da sociedade tendem para o estabelecimento de uma economia compartilhada visando mais dinheiro no bolso e experiências.

Vinicius é um morador de São Paulo e usuário do serviço de compartilhamento de carro Parpe. Ele trocou o carro pela bicicleta e ainda coloca um bom dinheiro no bolso mensalmente.

A artimanha não está necessariamente na economia de trocar o carro pela bicicleta, mas sim, pelo fato de Vinicius compartilhar o carro para aluguel no Parpe.

A experiência está em proporcionar serviços de mobilidade em detrimento ao status de posse. “Tem gente que aluga para ir a reunião, para Campos do Jordão com a família, acho bem tranquilo”, finaliza.

 

Menos carros na rua implica menos trânsito e poluição

O dilema entre comprar ou compartilhar o carro é resolvido quando colocamos em mente que o serviço de car sharing implica em menos carros e consequentemente em menos trânsito e menor índice de poluição.

A Universidade da Califórnia divulgou uma pesquisa, relatada pela Unisinos, concluindo que um veículo compartilhado substitui 11 carros particulares.

Com resultados assim fica fácil compreender que o bem compartilhado deve continuar orientando as ações da sociedade. A substituição de 11 carros por apenas 1 certamente traz benefícios à população uma vez que ameniza o stress nas vias públicas e contribui com melhorias ao meio ambiente.

 

Expansão das ciclovias possibilita mudança de estilo de vida

Expansão das ciclovias

A conscientização da população com vistas a melhorias na saúde tem levado a reivindicar dos representantes políticos a criação e expansão das ciclovias. E essa ação gera mudança no estilo de vida visto que as pessoas passam a ir de bike para o trabalho, seja emprestada ou retirada nos pontos de compartilhamento.

Casos como o do Vinicius ilustram bem essa questão. Enquanto disponibiliza seu carro no Parpe, utiliza do serviço de compartilhamento de bicicleta e faz uso das ciclovias para ir ao trabalho.

Isso implica numa mudança de estilo de vida e em consequência contribui para o bem estar pessoal ao tempo que alavanca a economia compartilhada.

 

A liberdade e o minimalismo

O serviço car sharing também é capaz de resolver o dilema da liberdade x minimalismo. Sabe-se que cuidar do carro não é tarefa das mais fáceis e requer tempo.

O compartilhamento de carro é útil para quem aluga e para o locador. A pessoa que aluga tem a garantia de uma renda, ou seja, é mais dinheiro entrando no bolso todos os meses, além de receber seu carro conservado da forma como entregou.

E para o locador a liberdade torna a vida mais prática. A manutenção e o cuidado diário que se emprega ao próprio carro não serão necessários, uma vez que você utilizará um carro compartilhado somente no dia e horário que precisar.

A economia do compartilhamento tem mudado fortemente a percepção da sociedade sobre a propriedade dos bens, em específico à posse e detenção de status só por ter um carro na garagem.

O futuro certamente será baseado nas experiências pessoais de uso dos bens e não mais na posse. Essa transformação resultará em benefícios às pessoas que poderão gozar de bem estar com liberdade em um ambiente mais puro.

 

Total
7
Shares